Campinas pode ser a primeira cidade do Brasil a usar drones para entregar comida


A cidade de Campinas, no estado de São Paulo, pode ser a primeira do Brasil a contar com um serviço de entrega de alimentos com o auxílio de drones. A negociação está sendo feita pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) com o pessoal do app de delivery de alimentos iFood, que firmou uma parceria com a criadora de drones SMX Systems / Speedbird Aero para usar os veículos aéreos como um sistema de entrega.

Esse é um projeto que vai gerar conhecimento. Vamos aprender em Campinas, para que possamos levar para outras cidades. A ideia é realmente aprender. Além de ser um mercado que operamos há muitos anos, com uma densidade grande de pedidos, Campinas tem uma geografia que favorece.”
Roberto Gandolfo, diretor de logística do iFood

As empresas estão trabalhando para o projeto cumprir as exigências a regulamentos da Anac e também do Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo). A expectativa do iFood é conseguir reduzir seus tempos de entrega para até apenas dois minutos e meio, ou seja, 150 segundos.

O projeto, no momento, planeja duas rotas. Uma dentro do Shopping Iguatemi de Campinas, que levaria a comida da praça de alimentação até um centro de distribuição, e uma fora do shopping, nas ruas, para levar a comida até o consumidor final. É claro que é a segunda rota a mais importante e também a mais difícil de ser aprovada, já que todos os trajetos que os drones executariam nas ruas precisariam ser previamente autorizados pelo Decea. Além disso, o drone não pode simplesmente pousar em qualquer lugar e, na regulamentação, recomenda-se uma área com 5m de diâmetro.

O drone que será usado para as entregas do iFood em Campinas é um DLV-1, com fabricação completamente nacional. Trata-se de uma aeronave com 1,4m de diâmetro e capaz de carregar até 2 kg em seus voos. O drone vem equipado também com uma caixa de transporte capaz de monitorar a temperatura do alimento dentro dele, já que foi especialmente adaptado para esse tipo de trabalho.

Fonte: G1

Comente usando o Facebook!

comentários