Fim da linha? Veja alguns modelos de carros que devem sair das ruas em breve


Eles ainda são comuns nas ruas brasileiras, mas alguns desses modelos já não são mais produzidos há cerca de um ano. Outros, embora ainda sejam vendidos, estão com os dias contados no mercado. Confira na galeria quais carros devem desaparecer das vias do Brasil em breve.

Chevrolet Classic: após 20 anos, sedã deixou o mercado no ano passado.

Chevrolet Captiva: ainda não saiu de linha oficialmente, mas a marca norte-americana já confirmou o Equinox no Brasil, o que deve confirmar a retirada do Captiva do mercado.

Palio Fire: o modelo ainda era baseado na primeira geração do hatch, lançada no País em 1996. Recebeu o visual atual em 2007, sendo que o restante da linha Palio havia recebido o desenho quatro anos antes; deixou de ser vendido no começo de 2017.

Idea: minivan lançada em 2005, quando a categoria estava no auge, estava esquecida no catálogo da Fiat. Sua última – e única – mudança foi em 2010, quando recebeu um novo design externo, que foi mantido até os dias atuais; deixou de ser vendido no começo de 2017.

Bravo: chegou com a missão de suceder o Stilo em 2010, três anos depois de ter sido lançado na Europa. Embora tivesse no visual um ponto positivo, com seu design bonito e moderno. Recebeu o visual atual em 2015, mas também nunca conseguiu emplacar. Deixa como legado a versão esportiva T-Jet, que assim como o Linea e o Punto, tinha o motor 1.4 turbo de 152 cv como grande atrativo; deixou de ser vendido no começo de 2017.

Linea: sedã derivado do Punto, chegou para suceder o Marea em 2008 e tentar fazer frente aos japoneses Honda Civic e Toyota Corolla. Nunca emplacou, embora tivesse a cobiçada versão T-Jet de 152 cv, com o motor 1.4 turbo, como seu grande destaque no lançamento. Recebeu um leve retoque visual em 2014, mas que não foi o suficiente para mudar o patamar do sedã; deixou de ser vendido no começo de 2017.

Doblò Cargo: embora a versão de passageiros siga em linha, o furgão é outro modelo que anda meio esquecido pela Fiat, sem receber grandes novidades desde 2009, quando recebeu o design atual. A versão Cargo sai de cena e deixa o caminho livre para o Fiorino; deixou de ser vendido no começo de 2017.

Freemont: primeiro fruto do casamento entre Fiat e Chrysler, o SUV nada mais era que uma versão do Dodge Journey com motor mais fraco e logotipos da marca italiana. Possivelmente não será mais importado do México, já que as unidades que ainda haviam no País eram de 2015; deixou de ser vendido no começo de 2017.

Fiat Siena EL: derivado da primeira geração do Palio, sedã deixou de ser vendido em 2016.

Geely: marca chinesa saiu do mercado em 2016, retirando o sedã EC7 e o hatch GC2 de circulação.

Hyundai Tucson: veterano no mercado, o SUV de primeira geração ainda é vendido, mas a tendência é que seja aposentado por conta dos novos lançamentos da marca no Brasil.

Hyundai i30: no exterior, a nova geração do hatch já foi apresentada. Por ser importado, a tendência é que a segunda geração do modelo saia de linha em breve.

Mercedes-Benz GLK: SUV deixou de ser importado em 2016.

Mitsubishi Lancer Evolution X: versão esportiva do sedã deixou de ser produzida em 2016.

Renault Clio: o veterano da Renault deixou de ser produzido em 2016, mas foi vendido até o início desse ano.

Volkswagen Passat Variant: geração antiga da perua deixou de ser vendida em 2016.

Ed: Gabriel Beccari / Fonte: MSN

Comente usando o Facebook!

comentários