Velódromo completa um ano de atividades, mas sem competições


O Velódromo Municipal “Juraci Mariano de Barros” completa na próxima terça-feira, dia 18, um ano de fundação.

Neste período, o espaço considerado como “legado das Olímpiadas Rio 2017” e que custou aos cofres públicos R$ 5.952.654,18, ainda não sediou nenhuma competição oficial e atualmente tem sua pista utilizada para treinos da equipe local de ciclismo.

A disputa para valer na pista, considerada uma das melhores do País, deve acontecer em breve. O evento Powerman deixou a cidade de Florianópolis e este ano será realizado em Indaiatuba.

O campeonato deve acontecer no velódromo municipal nos dias 18, 19 e 20 de agosto.

Via Secretaria de Relações Institucionais e Comunicação, a Prefeitura confirmou a realização do evento, mas salientou que se trata de uma prova de rua, onde a estrutura do velódromo será utilizada como ponto de largada e chegada, além de staff dos atletas.

No local, a Prefeitura também estuda e chegou a divulgar a assinatura de um convênio para a implantação de um Centro de Iniciação e Treinamento ao Ciclismo de Pista. Mas diferente do que foi publicado, a Secretaria de Esporte, Lazer Juventude desconhece qualquer parceria com o Município para este fim.

Na ocasião, a Prefeitura informou que no último dia 5, sua equipe técnica participou de uma reunião na Secretaria de Estadual, quando foi informada de que a proposta de Indaiatuba, prevendo a aquisição de bens, é incompatível com os recursos disponibilizados pelo convênio, destinados a custeio. Desta forma, a Secretaria de Estado orientou o município a alterar o projeto de aquisição para locação dos materiais necessários, o que já está em andamento e a uma nova redação será entregue na próxima semana.

Desde que o velódromo foi inaugurado, a ideia do antigo secretário municipal de Esportes, Humberto Panzetti, era que a primeira competição oficial da praça de esportes fosse de nível nacional.

A primeira tentativa foi a Prova Interestadual de Pista, que ocorreria nos dias 23 e 24 de abril do ano passado. Mas a pedido da Federação Paulista de Ciclismo, por conta do falecimento do diretor técnico da entidade e coordenador da competição, Gilson Alvaristo, a prova acabou sendo cancelada.

Outra tentativa de enfim promover uma competição oficial no velódromo foi em junho do ano passado. Estava tudo programado para Indaiatuba receber o Campeonato Paulista de Pista, mas o mesmo acabou sendo cancelado pela Federação Paulista devido as fortes chuvas que caíram sobre a cidade naquela semana.

Também no ano passado houve interesse, das equipes de ciclismo de China e Portugal, para realizarem seus treinos preparatórios para as Olimpíadas no velódromo local. Apesar da sondagem, nenhuma seleção fez sua preparação em Indaiatuba e coube ao espaço receber a Seleção Paralímpica do Brasil, que ficou no Município entre agosto e setembro.

Atraso 
O Velódromo foi inaugurado no dia 18 de abril de 2016, com quatro anos de atraso, na maioria das vezes devido ao repasse de verbas.

Na primeira etapa foram investidos R$ 1.322.992,26, sendo R$ 975 mil referentes ao convênio com o Ministério dos Esportes. A segunda fase recebeu investimento de R$ 4.629.571,92, sendo R$ 4.259.206,17 de convênio com o Governo Federal.

Segundo a Prefeitura, o velódromo é um legado olímpico e visa atender atletas de alta performance. Atualmente quatro atletas da equipe de elite de Indaiatuba treinam no espaço de segunda a sexta-feira, das 6h30 às 7h30 e das 17h às 18 horas. Outros 73 atletas, cadastrados no Termo de Utilização e Controle, utilizam o espaço com frequência.

Outro setor do velódromo, o administrativo, é ocupado por parte dos funcionários da Secretaria Municipal de Esportes. Questionado pelo Mais Expressão, a Prefeitura não informou qual é custo mensal com serviços como água e luz.

Fonte: Jornal Mais Expressão

Comente usando o Facebook!

comentários